Programa HumanizaSUS

Valorizar os diferentes sujeitos, fomentar a autonomia, grau de co-responsabilidade, interação com as demandas sociais, compromisso com a ambiência, reconhecimento da diversidade do povo brasileiro são alguns dos tópicos do programa de Humanização do SUS que são desenvolvidos e baseados nos princípios:

http://hitechnologies.com.br/site/wp-content/themes/salient/css/fonts/svg/basic_link.svg

Inseparabilidade entre a atenção e a gestão dos processos de produção de saúde: Os modos de gestão definem diretamente as técnicas, a clínica (práticas interdependentes e complementares). Sendo assim, a incorporação da humanização deve interagir nesse processo.

http://hitechnologies.com.br/site/wp-content/themes/salient/css/fonts/svg/arrows_rotate.svg

Transversalidade: Caracteriza-se por concepções e práticas que atravessam as diferentes ações e instâncias, que aumentam o grau de abertura da comunicação intra e intergrupos e ampliam as grupalidades, o que se reflete em mudanças nas práticas de saúde e deslocamentos de identitários.

http://hitechnologies.com.br/site/wp-content/themes/salient/css/fonts/svg/basic_heart.svg

Autonomia e protagonismo dos sujeitos: Caracteriza-se como, a co-responsabilidade entre gestores, usuários e a participação coletiva nos processos e na gestão. Bem como, a ampliação da vontade e capacidade de fazer algo.

Seus objetivos se baseiam em cinco focos:

1. Contagiar trabalhadores, gestores e usuários do SUS com os princípios e as diretrizes da humanização;
2. Fortalecer iniciativas de humanização existentes;
3. Desenvolver tecnologias relacionais e de compartilhamento das práticas de gestão e de atenção;
4. Aprimorar, ofertar e divulgar estratégias e metodologias de apoio a mudanças sustentáveis dos modelos de atenção e de gestão;
5. Implementar processos de acompanhamento e avaliação, ressaltando saberes gerados no SUS e experiências coletivas bem-sucedidas.

Para isso, o HumanizaSUS trabalha com três macro-objetivos:

1. Ampliar as ofertas da Política Nacional de Humanização aos gestores e aos conselhos de saúde, priorizando a atenção básica/fundamental e hospitalar, com ênfase nos hospitais de urgência e universitários;
2. Incentivar a inserção da valorização dos trabalhadores do SUS na agenda dos gestores, dos conselhos de saúde e das organizações da sociedade civil;
3. Divulgar a Política Nacional de Humanização e ampliar os processos de formação e produção de conhecimento em articulação com movimentos sociais e instituições.

Espera-se que seguindo esses princípios e programas desenvolvidos pelo HumanizaSUS, tenham como resultado prático a redução de filas e do tempo de espera com ampliação do acesso; atendimento acolhedor e resolutivo baseado em critérios de risco; implantação de modelo de atenção com responsabilização e vínculo; garantia dos direitos dos usuários; valorização do trabalho na saúde; gestão participativa nos serviços.

Colaborando com essa proposta, nasceu por meio de esforços múltiplos de pessoas engajadas pela humanização e utilizando a tecnologia de informação como aliada para esse processo, a Rede de Colaboração para a Humanização da Gestão e da Atenção no SUS (Rede HumanizaSUS) que é uma rede social das pessoas interessadas e/ou já envolvidas em processos de humanização da gestão e do cuidado no SUS.

O objetivo é possibilitar o encontro, a troca, a afetação recíproca, o afeto, o conhecimento, o aprendizado, a expressão livre, a escuta sensível, a polifonia, a arte da composição, o acolhimento, a multiplicidade de visões, a arte da conversa, a participação de qualquer indivíduo que simpatize sobre o tema da humanização.

Como trata-se de uma rede aberta via internet, as expressões e interlocuções são formas colaborativas, que podem ser possíveis propostas ou exequíveis tarefas, para os complexos desafios da operalização da humanização no serviço de saúde.

LEIS
Resumo da Lei nº10216
Resumo da Lei nº8080
Resumo da Lei nº8142